28 de dez de 2010

sem título

Uma alegria apenas não me compraz
viver intensamente é meu viver
ser então a asa mais disparada
mais esperta de não entender

(Ato último)
Das cinco alegrias

De duas alegrias, uma é sua
tenho um bem querer Quando nem penso
...

Tê-lo na saia, no vento assustante
Ternura me é servida na xícara
Ai, que descompasso, que amor errante.

(Ato primeiro) O de que é ser alegre

Alegre é "ser leve e líquido" apenas quando se está no asfalto

Da quinta e principal alegria, a ruína celeste

É ter/ser um pau ferro

18 de jun de 2010

Na lua

Na lua, estou para observar
Mas para também ser observado
Saí do seu lado para te ver de longe
E notar que é maior e mais complexo
Do que sustenidos nas nossas brigas
Do que reflexo do sol em tua íris

Fui admirar o que te fazia luzir
Na lua estava mais perto da grande estrela
Passei a brilhar, mas não como a estrela de lá
Apenas como reflexo do sol em minha íris
Em meu corpo, e no pensamento de quem me via
Com a nova pele que luzia

No fundo, tua íris é um sol
Que ilumina meu viver
Quando abre os olhos, vejo o sol nascer
E ao cerrá-los vejo o entardecer
O sol descer

Teu sono é velado pela minha luz
Que carreguei em você
Vejo-te repousar sem compreender
De onde vem essa energia?
Que ninguém entende,
Transforma teu corpo opaco em luzente
Dá paz à alma, corpo, e a mente
E ainda me força a seguir em frente

Teu brilho é surpreendente
Enche-me de carinho,
Um sentimento diferente

17 de jun de 2010

óculos de não ver

Esses óculos são de ver coisa bonita
árvore frutífera, florida
moça que rebola
criança atrevida
Quando a vida não ta boa
eu os coloco
e as nuvens tomam forma de algodão doce
O mundo gira pra ser carrossel
até trabalhar parece brincadeira
Esse óculos tem lentes de ver deus.

caminho

O caminho de tropeçar
é o caminho que eu quero seguir, pra cair, parar e contemplar.
E depois continuar a cair, e saber as façanhas certas pra me levantar.
Ter prazer quase masoquista de dizer: eu já caí...já caí! já caí!
Pode brilhar a purpurina mais do que a menina?
Se pode, essa é sua sina, brilhar pouco
perto da purpurina!
Seu gato preto não vem pra ela.
O menino que a olha, não vê.
Menina que não brilha, sofre
Feminina despercebida? Dor!
Não pode a purpurina brilhar mais do que a menina.
Uma bruxinha, essa menina!

26 de mai de 2010

Idolatrando o amor próprio

Deus não é mais
Nada
Agora eu sou
Tudo
Besteira entregar ao abstrato
Tudo
Aqui estou, e para quê?
Nada?
Sou
Todo
Deus
Eu avanço para o
Nada
Me impede de ser
Tudo
Para você não sou
Nada
Você também é Deus
Tudo
É, sou, somos, fomos
Nada
E toda essa idéia morta
Nada
Representa agora
Nada
É mais importante para mim
Deus,
Que o espelho
Acabou
Me descobri
Você
Não é mais
Nada
Me descobri e não sinto frio
Não sinto falta tua
Meu Deus.

5 de mai de 2010

Queria todo dia acordar tarde

Queria todo dia acordar tarde
Desligar-me da vida uma parte toda
E com disposição trabalhar
Tarde toda
Que tempo tenho que esperar
Para que consiga me amar?
Queria poder pular a conquista
Desistir do processo
Dormir de manhã
Ansioso para a tarde chegar
Para que possamos nos amar
E ao crepúsculo perpetuar
Anoitecer, adormecer,
Lindamente e sereno
Sem sono pequeno
Uma hibernação para uma noite durar
Já que a manhã não preciso deixá-la passar
Serão dias de apenas amar
Sem deixar o ligar e desligar
Pelo menos um momento preciso deixar
De ser, esquecer, que sou e que amo
E pala manhã, lembrar, desse amor insano!

29 de abr de 2010

Só sociedade há de orientar

Que prazer!
Aqui posso comprar
Marcar meta para fazer
Tudo pelo capital
Dinheiro, motivo de ser
Dinheiro para ter prazer,
E do acidente acontecer
Nascer
Crescer, envelhecer, morrer
Começa com o prazer
E muito desgosto ao entardecer
Orientado para seguir a massa do ocidente
E demasiado tarde
Para o oriente ir
Já estou ocidentado, orientado a gastar
Ter, fazer, acidentar
E novamente acontecer
Para que o próximo acidentado
Também seja ocidentado
Tentado a ser adepto
Do desprazer
De ver envelhecer o sentimento.
Tudo que digo é um grande lamento
Momento ocioso
Mas valioso, pois sem ele
Estou tentado a continuar
Ocidentado

20 de abr de 2010

Estereotipo

Qual é o seu jeito?
O que determina seu estilo?
Adere ao que foi feito?
Ou veste-se de qualquer jeito?

O quão importante isso é?
Tanto para o homem ou para a mulher?
Vai fazer suas ações e
Demonstrar suas pretensões?

Hoje não sou emo,
Funkeiro, ou pagodeiro
Punk, skinred, faroleiro,
Bicho-grilo, playsson ou roqueiro
Erudito, marginal,
Mauricinho e cara de pau
Burro ou inteligente.
Sou massa
Faço parte, sou gente!

Descolado de um tipo
Nem de time e muito menos
De partido participo
O que sou é estéril
Não faz filhos, nem seguidores
Do parto não sente as dores
Estéril soa bem, sons bem legais
Por isso se me perguntarem, direi:
É estéril o tipo, que vivo.

19 de abr de 2010

Poesia pra apagar com os olhos que não querem ver.

Você tem o beijo e o quejo na mão,
não se vá antes não,
não se vá antes de me cortar.
me embrulha e pede pra levar.

Me leva e pede pra ficar
num pouco, uma noite louca
Ter você na nuvem da cabeça
é um sorriso,
Pois que, ter você na mão
é um sorriso largo.

Não, não tenho
e agora isso é sonho e só...
mais que um dia vai ser real em pó.
e no meio desses quereres e desencantos,
é desejar um homem, eu o quero um tanto.

31 de mar de 2010

Per dor filiais

Se me ouvisses sem falar
quanta palavra bonita podias guardar
se meu pesar não te apressa
meu alcançar me detesta.
Teu atraso é o que resta de tortura
cansaço e secura doente
Pelejo de amor ausente e dor


Vinde a mim os vinhos e as vinhas
As meninas criancinhas
os meninos boçais...
Vinde a mim ou me largais.


Uma curva lisa e ereta...
serras e vales enrijecidos...
tudo de valor que há...
tudo que não me é permitido


A imagem te cerca e te nega mostrar
me proíbe te ver, me incuba adorar
Sou um nojo sem fim,
ai de mim que sou assim sem o querer
sem o poder manter ou desmanter
sem pudor ou desprazer...


Ai de ti, que meu eu não evita
Ai de ti que não sabes que roupa
o que vestir, onde ir, em quem
Ai de ti, e de mim também.
Somos anjos cercados
por doentes, somos demônios julgados
de pavio aceso e Cristo ausente.
Demência recriada,
por décadas passadas.


A pública imagem te cerca e te nega mostrar
me confunde os gostos
mistura as etárias e os rostos
Depois me xinga em pública praça,
depois me faz de mal a "raça".


Já tive tua idade,
absorvido pela publica cidade
pela pudica propriedade de um homem
de um gênero sem.


Ser coisa de querer
se não pode com teu ser
não se pode ter mais ninguém.

28 de mar de 2010

A grande mentira da realidade

A realidade
É o avesso de nossas conclusões
A realidade
Conclui-se no misto de muitas ações
A realidade
Talvez nem seja verdade
A realidade
No final são só muitas conclusões

A mentira
É a suposta realidade
A mentira
É brincadeira com maldade
A mentira
É forma de fugir da realidade
A mentira
É a primeira verdade

Foi realidade
E quem diria
Que na verdade
A verdade era mentira?
Mentira
Falsidade para justificar
A realidade.

27 de mar de 2010

Mensagem para meu irmão

Tenho medo de sua ação
Por isso sofro por antecipação
É de fora
É de fora a intervenção
Que invade
Mistura
E atrapalha meu coração
Não me abandone
Meu irmão
Não precisa mais
De proteção
Afetos e prendas
Deixa-me agora na solidão

Fui degrau
Para sua independência
Filantropia é carência
Ignorância
Falta de sapiência
Agora quem me ajuda?
Pergunto-lhe na inocência
Para que venha
Volte
Numa atitude de decência
Para me livrar dessa carecia.

24 de mar de 2010

fato erótico

Me corta a carne da virilha quando faz isso.
Abaixasse mais um pouco que eu acabava tudo por aqui.
Outros caminhos existem para suportarmos tanto desejo...
outras portas estreitas de céus mais sombrios.
Abaixasse um pouco mais e eu entraria por outra assim.
Sinto tanto desejo quanto dó por seu corpo.
Me serve tanto e bem, por isso.
Antes que eu caduque de vez, me pague e pegue de toda forma que quiseres.

...................................................


Só posso encontrar resposta pra vida, na sua saliva.
Os segredos do universo e da família está no céu da sua boca,
no enxarque na sua língua...
Apelo e te beijo e olhos bem fechados.

Sem título.

Tira o grampo do cabelo, esse batom vermelho
Tudo que é muito zelo com o corpo,
tudo o que for muito luxo, dura pouco...
Não seja um bicho acanhado olhando pela fresta da vida,
esperando o momento de dar o bote no primeiro que te cair aos pés.
Não seja lixo,ó insensata...não seja o nicho, o frio nos pés. Sê o pingo nos és.
Não sabes dançar como dama, não te quero em minha cama.
Não quero te ver nas manhãs que me restam na vida.
Tenho uma esposa que usa espartilho...branca e fria,
como deve ser a esposa de um velho.


Tira o grampo do cabelo, esse batom vermelho
Tudo o que é mulher tem no corpo a marca do muito pouco.
...
Sua beleza é coisa que ninguém suporta...
Sufocas a vida de todos com tanta manha e jeito de ser boa.
Me dá um pedaço desse céu aí dentro das calças.
Não se esqueça de mim quando a vontade invadir seu seio
Tira o grampo do bolso, joga fora...
escreve uma carta pra mim com esse batom. Deixa ele me dizer que você me quer,
isso me importa.

5 de mar de 2010

O Sereno da Madrugada

Sereno
Calmo
Sereno
Paz
Sereno
Gripe
Sereno
Frio
Sereno
Madrugada
Calma
Sereno
Fico eu
Resfriado

28 de fev de 2010

Elemento

Que belo ver-te crescer
Forçar e pulsar como um feto ao nascer
Deseijava tanto te fortalecer
Mas o tempo vez isso, e não vou interromper

Quando eras indefeso e pequeno
Pegava te com minhas mãos com uma extrema discrição
Cuidava te para que não viesse a adoentar
Para que belo viesse a ficar

Hoje és quase tudo que imaginava
Nós nunca acertamos com o nosso pensar
És tão forte e decidido
Que temo que possa me maltratar

Mas quanto a isso não me aflinjo
A distancia com a maturidade tem crescido
Não sabes que sei por isso finjo

Não sei se continuarei a te ver
Mas sei que estará perdido
Seu passado fraco e sem poder

27 de fev de 2010

Arrependimento

Sou vítima do meu próprio espírito,
quando penso que nada melhora
tudo me impressiona num golpe súbito;
uma melhora que me entristece como estava outrora;

Aquele que pensava ser o mundo
nada mais era do que um capricho
que a partir de hoje deixarei no coração, bem no fundo;
pois a nostalgia que me trará nunca irá para o lixo;

Dois mundo separados onde nenhum caminho se cruza;
como fui me perder em tal loucura sentimental;
minha vida estacionou como se fosse uma estatua dos olhos de medusa;
Amor, talvez hoje me queira, mas não aceito um amor que me faz mal;

Imagem social

Que imagem queremos ter?
será que tudo que esperamos e pensamos,
é refletido na essencia de nosso ser?

É capricho meu querer,
que as pessoas me vejam como quero;
desisto das pessoas, faço-as morrer;
antes que me peçam afetos de dinheiro;

Das profundesas elas retornam,
me consumem mais uma vez,
e minha felicidade destronam,
Oh! que maldade você me fez!

Sou indviduo e só preciso de mim!
Mas sem o coletivo sou Deus,
pecador demais para um cargo tão valioso assim.

Eu réu

Um dia me perguntaram quem eu sou, parei para refletir, todos diriam o próprio nome, mas essa é a palavra dada para que me reconheçam, diria que sou humano? homem? jovem? Diria minha composição química que encontramos na farmácia? Não. Diria que sou um réu da sociedade, que estou aqui para ser julgado e interpretado pelos olhos de cada um. Por isso não se importe se eu parecer culpado, você a meus olhos também está sendo julgado, se disser que é inocente? Quem me importa? O que é, ficará guardado eternamente para você, numa cela da sua mente, gritando que é inocente, tentando para todos mostrar seu rosto, já que a máscara de um ursupador toma seu posto.

16 de fev de 2010

Sem título

Não tenho a intenção de bordar minhas leis com sangue. Entre a bondade e a justiça não sei o que me apraz.
Dos anjos e gênios quero apenas o som da arpa e a sabedoria. Não me valem muito.
Escolher um deles seria definir-me e não posso fazer isso.
Tenho inúmeras possibilidades, quero experimentar todas nessa encarnação. Desejo também conhecer cada possibilidade dos meus próximos e me realizar através dela.
O ser humano é mais do que pensa e menos do que pode. Sinto dó e dor...
Devia ser diferente. Acredito nos tempos que virão, onde o menor dos homens, aquele que sonha no seu colchão gasto, controlará as leis do universo e pousará sobre ele como que esperando o Deus que tirou longas férias. E quando Ele retornar, o homem, antes sonhador lhe dirá: “ Agora és bicho-homem, vá nascer de novo para entrar no meu reino”.
Soa caótico, sei. Mas é assim mesmo, mundo grande e desordenado, cheio de engrenagens emaranhadas.
Não é presunção querer mudar o mundo. Todos temos direito de dar nossa cara pra ele. Muitos passaram por aqui e deixaram sua fisionomia cheia de moral, preconceito, egoísmo, miséria e valores. Outros colocaram sobre tudo isso uma bela mascara.
Tudo está se dando a todo instante, ainda há tempo de atirar flores nesse monstro. Como bom filho da natureza que brinca de atirar bolas de neve com a força que o povo de Jerusalém atiraria pedras em Madalena, se não tivessem pecados.
Se tudo que o homem pensasse tivesse mais cor de causa humana...ai o que não seria de nós?!

Divino amor

Há um círculo no cisco em seu olho,
E nele, no círculo, há uma gotícula de água...
Pense que não ou concorde, sempre haverá
Quem veja em você mais do que você saiba que existe.

Alguém que enxergue além do que te importa mostrar,
E que se importe em sentir pra lá do que você faz seduzir.

Isso causa medo de início,
ânsia e desprezo.
Não desejamos alguém que venha nos revelar
o que fingimos não saber...
Mas acontece tudo diferente!!!
E pra nossa paixão,
pra nossa doença insistente de sermos ausentes
no que diz respeito a nós
Percebemos também algo nesse intrometido
que ele não queria saber que sabíamos.

Logo e por isso, vem a cumplicidade
De pessoas que não queriam compartilhar
mas trocam segredos
mais adiante, trocam prazeres, delícias

A divindade surge aí.

E mais uma dupla que se ama ora por ela nesse mundo,
Seja fazendo amor, seja fazendo olhares.

Alma siamesa

Peço que você se encontre no mundo.
Um dia ainda saberá
que nós somos nossa alma gêmea.
Esse amor que você tanto busca,
Onde você projeta sua felicidade e quase por instinto vive á dizer:
“está tão perto de nós e tão longe vamos buscar”.
É você mesmo, veja que surpresa!
O amor que você sempre sonhou,onde não há lugar para o ciume.
Esta sempre com você e isso não tem a ver com posse.
Fidelidade,lealdade... compreensão.
Onde, oh mortal atrevido, você pensa que vai encontrar alguém
que vai se importar tanto com suas perdas e seus ganhos?
Essa pessoa é você mesmo, ora bolas!
Simples perceber, ela existe.
Está dentro de você.
“Conhece-te a ti mesmo”- disse Pirandelo.
Disse pois sabia que aí estava o que você buscava.

Sua alma gêmea te ama como você é,
você também tem que aprender a ama-la.
Eis a parte mais difícil e que você sequer imaginou:
Aprender a amar sua alma gêmea...
respeitá-la e cuidá-la.
Aceitá-la
Pois ninguém é perfeito.

E sentir uma ternura muito grande quando estiver apenas você e ela.

Vocês formarão um universo
onde a cumplicidade existe como que por encantamento.
Em verdade vos repito:
Sua alma gêmea existe...
em carne, ossos e defeitos...
com experiências, valores e qualidades.

Está na sua luta de cada dia,
a descoberta incessante de si mesmo.
Por vezes dolorosa,
por vezes surpresa gostosa.

Desejo á vocês dois toda a felicidade do mundo,
e que sejam felizes para sempre
a partir do dia em que se conhecerem...
E que se condensem de tanto amor
na figura pura e bela de um só.

Coragem em pessoa

Coragem és mãe. Peito de águia... A ti devo minhas conquistas.
Se pudesses saber o que eu sinto quando não me acompanhas,
Perdição!
Nunca saberás...és suficiente em si mesma e morres por uma causa como a mãe pelo filho.
Agradeço pela constância em minha vida. Se não fosse assim, sequer teria amado.
Preciso de ti para sorrir escondido ou chorar em público. Para dizer não e dizer sim.
Agora, minha vida chega ao fim, mais do que nunca, segura minha mão Coragem.
Aperta que preciso senti-la em minha alma. Não me abandones agora. Nada vai mudar se não estiveres aqui, sei que lhe devo mais do que posso pagar e mesmo assim acredito que cabe mais um pedido: fica.
Me faz lembrar quantos erros cometi por me exceder estando perto de ti e quantos acertos não vivi porque estavas longe. Todos me ensinaram, sim e muito. És amiga e como vês esse é um momento só meu...ninguém pode me acompanhar. Se me faltares será muito sofrido.
Coragem, peito de águia, fique!

Em-nome-do-pai

Mundo...fica mudo e me escuta.
Muda!Muda!
Eu só falo absurdo, mas falo com você.
Desconjuro os sete credos...
O "em-nome-do-pai" vem me benzer.
Diz que vai pra frente ou volta se o futuro é ruim...
deita, pula ou sacode mas não fica girando assim.
Nisso você fica tonto e sabe menos ainda onde ir.

Me dê a mão...fecha os olhos, eu te guio.

Para o poeta Deivid

No alto, perto da lua deve haver um sinal. Um amor de paz, de bem e mal.
Uma busca colorida, um odiar esquecido.
Uma noite de chuva e um dia em que a gente que é criança;
que desperto, vem e dança o ritmo do corpo e do tambor.
Tem gente que não sabe que é calor. Tem sombra que não desmancha.
Pontes novas, pontes velhas, ruas e corda nos unem. Satélites nos unem.
Objetivos nos unem.
Olhares nos unem , palavras também. (Tudo isso no nos separa, ao mesmo tempo.)

Mas existir simplesmente nos une.
E isso devemos perseguir e não esquecer.

HQ

Minha música interna chora, chorinho, blues sofre.
Minha pistola interna atira palavras aos ouvidos atentos. Palavras que deixam rastros amargos.Tem um mundo interno que está em extinção. Tem dinossauro que pisa forte nele, e ele treme e desmancha...vai desabar e sair pela culatra.
Cada vez que trago um cigarro de uva, ele adormece, e só acorda com o passo do dinossauro. Penso nas crianças mudas telepáticas, crianças índigo que me rodeiam e olham desconfiadas.
“Quanto de drogas esse terráqueo usou?!”, pensam elas, lamentando.
Tudo isso é verdade e bom que liberdade poética exista porque senão...ó!

A mulher que não sonhava

Pelo prazer uma pele...
poder e perigo impere
ama a morte antes da vida,
a morte no orgasmo de uma vida sofrida.

Uma mulher que ama ele...mas não se ama,
ama ele na cozinha, se ama ele na cama.
Ela é jóia mas não ganha diamante,
outra recebe o colar de brilhante
que ela quis no dia do casamento que seria feliz.

Se ela canta, que cantoria triste,
que pássaro que não existe.
Seu banho é limpo. A banheira ferve, sedenta de amor,

Nunca, por Deus, pensou em outro...
seja beijando sua nuca ou lambendo
sua bisteca na frigideira. Nunca, jura.
Nunca também se perguntou porque nunca.
Talvez a igreja não permita, é suficiente.

Não tinha o dom de questionar.
Nascera assim, sem bem nem mal algum.
E o lugar ao sol era coisa de conto de fadas. Lia e sabia.
Mas também não sonhava pois sempre tinha
um paletó dele pra ser passado.
Passado á ferro, claro, nunca passado pra trás...
um trocadilho que não cabia na sua vida.

Se alguém se tornava em algum momento
mais importante do que ele, era alguma visita dele.
Sua mãe não era das pessoas mais agradáveis,
Uma megera indomável.
E sorria com um batom vermelho.
Cor que ela nem atrevia pensar o que significava.

Que importa se é fogo, paixão ou vingança?
Nada disso sentiu na vida.
Sentia apenas que devia amar,
incondicionalmente, aquela mulher fria
com seu batom vermelho falando coisas desagradáveis,
deixando pra trás sempre um cheiro de ferrugem maldito.
Algumas vontades vêm e vão
alguns amores nunca vêm...
e por isso também nunca se vão.

Quando se descobre uma mulher sem sonhos
Descobre-se uma mulher que não existe
um corpo cheio de curvas e vazio de vaidades.
Descobre-se, sem dúvida alguma, uma mulher que não existe.

É mais morte do que vida. É não querida!
É a casca sangria da ferida.
Mas pra quê falar dessa mulher?
Ela não existe.

pintor pinta

Óleo é coisa que me quer bem...
Tinta é cor que me cheira bonito.
Ao meu pintor preferido, uma rosa preta
Um coração cósmico, para meu pintor preferido.
Diz ser um bom partido. Não creio.

Seu nu muito me agrada,
Tem uma boca aberta e a dentadura brilhante.
Só que está farto demais de amor... Muito amor pra dar.
Pra todo mundo que quiser. Não só pra mim.

Dar-se a quê

Podia a vida ser tão seca e amarga.
Por conta de um fulano que nada quer
Integra e segrega suas partes mais íntimas.
E aniquila sua fé na humanidade.

Quer ser o sorriso nos seus lábios.
Ser a entrega do seu corpo numa noite fria e promissora de amor.
Pertinente e doído amor de uma vida doce...

Vai, esvai-se e comumente retorna com dor e crueldade.
Um vício passa a ser seu demente!
Um querer desajeitado e pertinente
Sua vida acaba ontem. Não há nada em frente
Não tem porque seguir. Alguns amores são assim.
Talvez não sejam amores.

Arder no paraíso.

Se meus deuses fossem homens,
Teria todos na minha cama.
Como deus me excita!
Quando meu sexo é meu poder, Deus me seria tudo
Meu orgasmo infindo.
Deus me masturbando,me levando ao seu paraíso
e por lá, colocando uma aliança no meu dedo.
Deus me mostrando o lugar
que ele escolheu pra esconder o ponto G
E dizendo:
-Escondi muito bem, pra ninguém acha-lo.
E agora eu o mostro... E você se apaixona por mim.
Sou besta?

Não Deus! Não é besta! A besta apocalíptica encontra
a fraqueza dos homens, mas nunca o ponto G,
não a fortaleza das mulheres.
Você até que é bem esperto.
Deus, como me excita sua inexistência!
Você é o que toda mulher quer...
você é o cara que não há.

Do céu

Sendo a capela sacra e meu corpo virgem,
Meu ventre é sacro...
Minha sede de amor é divina...
Vêm de deus, para os homens, todos os homens.
Indistintamente, amor por todos os homens.
Homens do sexo feminino e até hermafroditas afrodities.
Pervertidamente amorosa. Libido-sagrado-poderosa.