28 de fev de 2010

Elemento

Que belo ver-te crescer
Forçar e pulsar como um feto ao nascer
Deseijava tanto te fortalecer
Mas o tempo vez isso, e não vou interromper

Quando eras indefeso e pequeno
Pegava te com minhas mãos com uma extrema discrição
Cuidava te para que não viesse a adoentar
Para que belo viesse a ficar

Hoje és quase tudo que imaginava
Nós nunca acertamos com o nosso pensar
És tão forte e decidido
Que temo que possa me maltratar

Mas quanto a isso não me aflinjo
A distancia com a maturidade tem crescido
Não sabes que sei por isso finjo

Não sei se continuarei a te ver
Mas sei que estará perdido
Seu passado fraco e sem poder

3 comentários:

Faaalaaa...la,la,la,la,la,la,la,la,la...